Meu Filho é Um Celíaco Tristonho… O Que Fazer?

“MEU PEQUENO É UM CELÍACO TRISTONHO!”

E agora? Você sabe o que isso quer dizer?

 

“Se não tem glúten é saudável!”. Quantas vezes essa frase tem sido falada nos dias de hoje né, mãe? Será mesmo verdade? E isso realmente importa quando a preocupação é outra?

Afinal, o que é glúten? E o que a doença celíaca representa na saúde do seu pequeno?

Bom, vamos lá então… Antes de mais nada vamos entender o que vem a ser a doença celíaca. Essa doença é caracterizada pela intolerância do intestino delgado à gliadina.

Mas quem é essa gliadina? Pois bem, gliadina é um componente do glúten. E o glúten é uma proteína presente em trigo, centeio, cevada.

Então a nossa farinha de trigo comum tem glúten!! E tudo o que é feito dessa farinha também .. um bolo, um biscoito, uma rosca, entre outros alimentos.

Os sintomas da doença variam muito. Então a criança pode ter azia, diarreia, náuseas, vômitos ou até mesmo coceira, um crescimento lento e também anemia.

Como resolver esse problema? Bom… o tratamento acontece com a retirada do glúten por toda a vida.

Sendo assim, é de se esperar que essa doença afete a vida física, mental e social, bem como a qualidade de vida das nossas crianças.

Sabe porque afeta? Porque é realmente muito chato ter restrições na dieta não é? Aquela sensação de proibição é ruim, ainda mais sendo uma criança. E já é comprovado que as tentativas de adesão à uma dieta sem glúten podem ocasionar transtornos psicológicos, inclusive depressão.

Sua criança pode então adquirir depressão por ser celíaca? Infelizmente sim…

Isso acontece porque ele começa a desenvolver um estresse psicossocial associado à doença celíaca e à dieta sem glúten, porque ela se isola por não conseguir comer fora de casa ou por ter dificuldades para encontrar alimentos sem glúten, por exemplo.

Infelizmente isso pode gerar baixa.

Essa situação pode ser observada ao analisar o que sua própria criança está dizendo, como: ‘‘infelizmente, sou doente’’, ‘‘queria não estar doente’’, ‘‘não entendo por que estou doente’’ e ‘‘nunca me esqueço de que estou doente’’.

Já percebeu, mãe, se ela fala isso para você?

No entanto, você não pode deixar sua criança doente não é mesmo? Até porque se você não cortar os alimentos fontes de glúten delas, elas estarão com todos os sintomas negativos.

No estudo citado logo ali acima, foi observado, por exemplo, que os adolescentes que não aderiram à dieta sem glúten apresentavam qualidade de vida pior, sentiam-se doentes, apresentavam mais problemas psiquiátricos e tinham mais problemas na escola.

Então olha só que situação nós estamos, mãe. Você não pode deixar seu filho comer alimentos com glúten e passar mal, não é verdade?

Ao mesmo tempo você não quer que seu filho entre em depressão por exclusão social ao cortar da vida dele os alimentos com glúten!

 

⇒ Veja também:  Como Fazer Uma Festa Infantil Saudável de Forma Simples e Prática Passo a Passo

COMO FAZER?

O melhor que você tem a fazer é contribuir com a adesão à dieta, pois ainda é o principal fator de uma qualidade de vida ideal. Caso o seu filho tenha baixa adesão à dieta, ele deve ter apoio psicológico.

Seu apoio e o apoio de toda a família também é muito importante.

Que tal fazer comidinhas gostosas e especiais sem glúten para o seu filho?

E, ainda melhor do que somente fazer, o que acha de você comer com ele e fazê-lo sentir menos excluído dessa situação?

Levá-lo ao psicólogo, nutricionista, pediatra também é interessante, pois uma equipe multiprofissional pode ajudá-lo a se encaixar em toda essa situação!

Não se esqueça: estar com seu pequeno e trazer prazeres e momentos felizes é completamente possível na doença celíaca! Basta que todos se ajudem!

 

Saiba mais do estudo citado em: E. Sevinc; F. H. C¸etin; B. D. Cos¸kunc.  Psychopathology, quality of life, and related factors in children with celiac disease. Jornal de Pediatria, Rio de Janeiro, 2017.